O outro lado de Davilson Morais – O Atleta Olímpico militar e apaixonado pela cozinha

Muito já se ouviu falar por estas bandas do Atleta Olímpico de Santo Antão que representou Cabo Verde nos Jogos Olímpicos do Rio2016. Sim Davilson Morais, o que vem da ilha mais montanhosa de Cabo Verde, onde as nascentes nunca secam e o caminho é quase sempre longo, pelos vales e resvalos.

É aqui que em 1989 nasceu Davilson Morais, um menino tímido, de poucas palavras e que já no final da adolescência viu se chamado a prestar serviço militar na ilha de São Vicente, fase que começou com uma integração difícil, como conta.

“Fiz a inspeção e o meu nome foi alistado para a tropa, assim comecei em março de 2009, no inicio foi difícil, pois exigiam muito de mim, os dois meses de instrução foram duros”, reitera.

Sair da sua ilha para longe dos familiares e dos amigos que conservou durante sua tenra idade era com certeza um grande desafio. Um cenário igual para vários jovens cabo-verdianos que para defender a pátria tem que quase sempre sair da sua zona de conforto, mas com olhos em outras oportunidades.

No entanto ser chamado para ser defensor da pátria e ser chamado a representar a pátria no maior evento desportivo e cultural do mundo deve certamente ter muitos pontos em comum. A responsabilidade de estar sempre alerta para servir em qualquer momento ou de carregar todo um país nas costas e no braço, em cada competição, em cada soco.

Mas como chegamos a isso? Foi exatamente na tropa que Davilson Morais descobriu-se como pugilista. A formação para Policia Militar exigia ser forte, disciplinado e capaz de agir com frieza.

“Quem me mostrou esse horizonte do boxe foi o Major na reforma, senhor Salazar, na 2° região militar e um camarada de nome Remilson, depois regressei para São Vicente, passei pela equipa Mindel Boxe liderado e algum tempo depois voltei para minha casa de formação, as Forças Armadas, também em Mindelo, e daí em diante fui progredindo muito mais com o treinador, o Sargento Chef Adilson Gomes, ele lutou bastante para que eu conseguisse estes resultados”, afirma.

Davilson continua “houve tempo que nem conseguia ouvir a voz dele, estava tão chateado porque ele nunca cansava, mas puxava por mim e dava-me moral, hoje sou muito grato a ele e devo muito do que sou a ele, às Forças Armadas e também à minha família”.

Porquanto começava no Boxe, Davilson não esperava que poucos anos depois vinha se a descobrir um curriculum de vários campeonatos regionais, nacionais e continentais que lhe rendeu a qualificação para os Jogos Olímpicos do Rio2016.

Luta com o britânico Joy Joyce nos JO do Rio2016

Eis o curriculum o de Davilson Morais nos + 95 kilos.

Campeão Regional de São Vicente – Época: 2017/2018,2016/2017,2015/2016,2014/2015,2013/2014,2012/2013

Campeão Nacional – Época: 2016/2017, 2015/2016,2014/2015,2012/2013.

Participação pela Seleção Cabo-verdiana de Boxe
2016 Torneio pré-olímpico Africano – onde garantiu a qualificação para os Jogos do Rio2016, 2014 Top bilateral entre Angola e Cabo Verde.

Saida do combate no Rio2016

Entre o serviço de Policia Militar e o Boxe surge ainda uma nova paixão, a cozinha.

Apesar da sua especialização ser em Policia Militar, Davilson deixou de exercer tal função para se dedicar a alimentar os soldados da sua corporação.

“Sempre gostei de cozinhar e sempre recebo elogios, pois o faço com muito carinho e dedicação… não é difícil cozinhar para eles, não têm um prato favorito meu, gostam de tudo o que cozinho”, conta-nos o atleta militar, mostrando também ser campeão nas panelas. Ainda acrescenta que “é uma média de 130 pessoas a comer, isto significa, 25 kilos de arroz e 20 kilos de carne mais ou menos”.

Alimentar uma legião de soldados, proteger cidadãos e enchê-los o coração de felicidade e emoção pelas conquistas são as especialidades de Davilson Morais. O menino que saiu de remota ilha de Santo Antão para buscar novos horizontes no serviço militar e que conseguiu por mérito qualificar-se para os Jogos Olímpicos.

1 comentário em “O outro lado de Davilson Morais – O Atleta Olímpico militar e apaixonado pela cozinha

  1. Adilson Gomes Responder

    O Davilson é um excelente atleta, dedicado, humilde, disciplinado, focado e um excelente profissional.
    É com muito orgulho que dedico o tempo que for necessário para ajudar o Davilson nos treinos, porque ele é tão disciplinado que tudo fica mais fácil. De realçar que a bolsa Olímpica permitiu que ele participasse em vários torneios internacionais conquistando varias medalhas e melhorando as suas qualidades como atleta.
    O Foco principal é o apuramento para o Tokyo 2020 e espero ver o Davilson novamente no maior evento desportivo do planeta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *