Skip to content

NOTÍCIAS

TOKIO 2020

gold_1
silver

3

12

-

bronze

DIPLOMAS

6

August Wesley esteve em Cabo Verde em dezembro último onde, como nos conta, deu entrada nos documentos necessários para a criação de uma Associação desportiva da modalidade no país.

O antigo atleta mostra com orgulho cartas que enviara ao primeiro presidente do Comité Olímpico Cabo-verdiano, Antero Barros, mostrando a sua disponibilidade em representar Cabo Verde nos Jogos Olímpicos de Sidney 2000 e Atenas 2004, onde a resposta foi de que não seria possível pois o país não contava com uma federação da modalidade.

Mais de vinte anos após a primeira carta enviada, o agora treinador, quer fundar uma federação e despontar novos talentos cabo-verdianos da modalidade e já em mente a realização de cursos para treinadores e atletas no país.

Um desses atletas Anthony Wesley, filho do ora treinador, que vem já vestindo a camisola de Cabo Verde desde o reconhecimento de Cabo Verde na Federação Internacional da modalidade.

Anthony classificou-se no quinto do Torneio internacional Mustapha Abrain, que decorreu no Egito no passado mês de novembro.

Treze países participaram desta 32ª competição anual, incluindo Estados Unidos, Rússia, Sérvia e Grã-Bretanha. Ele conquistou isso com uma vitória por 8 a 4 sobre a Coreia e ao derrotar o Egito. Anthony se classificou para as semifinais perdendo para o eventual campeão, mas sofreu uma lesão na disputa pela medalha de bronze e não pôde continuar.

O ora treinador tem um curriculum extenso em participação em competições internacionais pelos Estados Unidos, tendo já enfrentado campeões olímpicos e diversos atletas de nível mundial, de onde coleciona várias medalhas.

August participou dos testes olímpicos dos Estados Unidos em 1996 e 2000 também, representando a equipe dos EUA no Campeonato Mundial de Veteranos da UWW 2012 em Budapeste, Hungria, em 8º lugar e em Atenas, Grécia, em 9º lugar em 2015. Ele ganhou uma medalha de prata no Campeonato Nacional de Veteranos dos EUA 2012 e medalha de bronze em Porto Rico no internacional Sparta Cup em 2015.

A luta livre é uma tradição para estes descendentes de Cabo-verdianos e já contam com o atleta olímpico na família, Anthony Amado, que representou os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Seul 1988, ainda antes da fundação do Comité Olímpico Cabo-verdiano em 1989 e, consequentemente, da primeira participação de Cabo Verde nos Jogos Olímpicos em 1996. Anthony Amado tem raízes da ilha do Fogo e foi também Bronze no campeonato Pan-americano de 1987 na categoria -57kg, tudo indica que será o presidente da federação em processo de criação.

Segundo Wesley "estamos muito entusiasmados com a aceitação oficial para a United World Wrestling e agora Cabo Verde poderá participar nos Jogos Olímpicos e Mundial".

Neste momento o treinador viajou para Marrocos onde participou em mais um campeonato africano, levando a bandeira nacional acompanhando Anthony.

Vê aqui a sua participação

O objetivo da Associação será também de formar treinadores e encontrar mais atletas em Cabo Verde, que, como Wesley realça, têm uma aptidão nata em desportos de combate e que pode ser aproveitado para chegar a níveis profissionais.



A modalidade de luta começou a ser disputada nos Jogos da Grécia Antiga no século 7 a.C.. Ao longo dos anos e das edições das Olimpíadas, a modalidade foi evoluindo e ganhando particularidades. O modelo de luta dos gregos inspirou os franceses a criar, no início do século 19, o estilo hoje conhecido como luta greco-romana.

Ve o video sobre esta notícia na nossa pagina do Facebook

FOTOS RELACIONADAS

PARCEIROS